O MOMENTO DO DOUTRINADOR

O MOMENTO DO DOUTRINADOR
                Salve Deus!
Depois de mais de trinta anos de doutrina, as indagações existenciais e espirituais continuam a povoar minha mente embora, dotado de uma sensibilidade intuitiva satisfatória chego a conclusão que me falta muitos conhecimentos sobre este Amanhecer para tentar entender e me colocar na condição de ser um missionário, ou melhor, do Doutrinador idealizado por Tia Neiva.
Em sua carta dirigida ao Doutrinador, diante das possibilidades oferecidas e idealizadas pela mediunidade, creio que pelo menos eu, sinto-me engatinhando diante do que é possível ser um Doutrinador!
“É o canto universal, é a vida de povos com caráter e sua natureza. Estão sempre a receber a mais viva Luz! Ser um Doutrinador é ser um profundo conhecedor, até ser um cientista. Sim, cientista é ter conhecimento das coisas, dos fatos e dos fenômenos em si mesmo, em sua natureza e em suas origens. ”(Tia Neiva)
E me vem o pensamento do que nos falta como Mestres Doutrinadores para alcançarmos essa condição idealizada por Tia Neiva?
E aproveitamos esse divagar de idéias , lançamos mão de outra frase que complementa essa mediunidade que é o Adjunto, em que Tia Neiva nos leva mais uma vez a refletir:
“Sem ter a pretensão de transformar em um monge ou em um Robô místico, vou te descrever as pequenas atitudes de um ativo Adjunto”
Como portador da voz da Clarividente e da doutrina, o Doutrinador deveria hoje, estar em condições de resolver as questões de ordem administrativas e mediúnicas ocorridas com aquele que Deus lhe confiou...
No entanto,muitos ,enveredados pelo caminho das classificações e posições hierárquicas acabam tornando-se Rei sem reino.
Sem entender completamente o sentido das comunicações e intuições lançam se na “divina tarefa” de serem condutores de povos e direcionadores de espíritos para Deus, sem no entanto se iluminar, sem abrir seu coração e seus olhos para Deus,sem ter verdadeiramente em teu coração o desejo de servir e acabam perecendo nessa caminhada!
Semeiam em terreno pedregoso e em meio a espinhos onde as traças roem e a ferrugem corrói seu maior tesouro.
Mestres que tínhamos como desbravadores,verdadeiros bandeirantes doutrinários, tomaram outra direção contrária ao seus ensinamentos e afastaram-se de sua Mãe Clarividente.
Nossos templos, cujos bancos eram destinados aos pacientes e aqueles cuja esperança lhe foi tomada pela ação de espíritos sofredores,são ocupados por nosso corpo mediúnico!
Nisso lembro o Trino A jarã ainda 2001,referir-se ao nosso povo como doentes espirituais,que por falta de uma conduta doutrinária,com o chapéu na mão buscava a misericórdia divina nos bancos e tronos de nossos templos.
Tia Neiva esquecida por muitos, deu lugar a filosofias contraditórias e regras que contrariam nossos princípios e essências evangelizas e iniciáticas.
Porém ainda resistem bravamente aqueles que colocaram em seu coração o compromisso da Adaga apontada em seu peito, tomaram para si o sudário colocado sobre a cruz e cobriram o Aledá em seu coração e despiram-se da vaidade e lutaram contra si mesmos e levam com amor a missão que nosso Pai lhe confiou...
Mestre Nestor sempre se preocupava com o PORÃO, e o Trino Ajarã nos tem alertado sobre o ANFITEATRO...É a  sua hora meu Mestre  e irmão, de ser o Doutrinador que nesse Primeiro de maio, mesmo que não participe de nenhum dos rituais que estarão acontecendo em todo o planeta, possa ser alcançado pela promessa da Amacê que nos conduz a força do DOUTRINADOR.
GILMAR
Adjunto Adelano
Abril-2017