ENTENDIMENTO E ACEITAÇÃO

ENTENDIMENTO E ACEITAÇÃO

                Salve Deus!

                Diante de uma notícia, que por sinal extremamente desagradável, do desencarne de um grande amigo meu, que já pertenceu a doutrina, nos vem junto com impacto do fato, interrogações que mesmo com todo conhecimento que nos passaram da vida fora da matéria vez por outra, nos assola e até provoca em nós uma profunda reflexão.
                O corpo físico elemento agasalhador da alma, exerce  em nós uma tremenda força e nos faz ficar preso ao princípio existencial, a preservação da vida, e acima de tudo a não aceitação tranquila e serena dessa passagem, desse rito, dessa coisa que  é morrer. O homem é o único animal nesse planeta que tem pleno conhecimento que irá deixar de existir ou melhor, morrer, em compensação também sabe da possibilidade desse pós existir. Nasceu dessa forma o culto a Deus que nos leva a esse pós existencialismo. Se partirmos desse conceito da existência de Deus, temos aceitar que nesse pacote está essa pós existência, não como desatrelar essa condição.
Mesmo nós outros, Jaguares deste Amanhecer, cuja ferramenta de trabalho são espíritos que aqui já estiveram encarnados, não costumamos aceitar tão tranquilamente essa ideia da morte.
Talvez seja que a doutrina nos ensina a valorizar a vida e em nenhum momento a morte faz parte de nosso cotidiano como essa força de aniquilação ou desintegração do corpo e espirito como se fosse um liquidificador cósmico a triturar tudo e nada a sobrar.
                Essa figura que escolhi para  ilustrar esse testo talvez diga mais que todas essas palavras que aqui posto. Um banco vazio em meio a noite. Porém é a noite , o sol virá e poderá ter ocupado ou ocupará o vazio dessa imagem.

                Gilmar

Adjunto Adelano