O TRINO



O TRINO
Salve Deus!
Nossa doutrina em sua característica espiritual cabalística revelou nos através de nossa Clarividente aspectos antes desconhecidos e que de certa forma contrariam alguns pensamentos antes considerados tradicionais.
Somos herdeiros comportamentais da ideia religiosa ou divina, sempre nos foi ensinado esses pensamentos onde permeávamos entre Santos e demônios e entremeados por infernos e purgatórios. Nossa Clarividente nos mostrou mundos, ou dimensões altamente complexas em sua estrutura social, nelas “individualidades”, exercem funções diferenciadas, e essas, são voltadas para o coletivo que estende a nós outros encarnados.
Essa relação que se faz através de mecanismos mediúnicos condicionados, movimentados por forças ou energias oriundas não só do ectoplasma humano, como também de fontes universais, portanto, foi necessário ser implementado toda uma ritualística e nessa, foi possível movimentar o que chamamos de cabala; que é o leito de forças decrescente.
Na organização desse sistema, a ingerência da condição humana foi indispensável, dessa forma foi necessário “criar ou montar” um sistema hierárquico que deu origem a outra condição que permitiu montar forças especificas que é a força decrescente.
Tia Neiva criou os Trinos que é a junção de três raízes; no início dessa jornada foram criados, classificados e consagrados três Trinos Presidentes Triadas Presidentes; Tumuchy Mario Sassi, Araken Nestor Sabatovisck, Sumanã Michel Hanna e por volta de 1984/85, Ajarã Gilberto Zelaya, que acumulou também a condição de Subcoordenador dos Templos externos ou Templos do Amanhecer.
O entendimento da extensão da função do Trino é altamente complexa e é de suma importância separar o homem (a personalidade) e o Mestre(individualidade) para poder aceitar e entender essa representatividade tanto na função doutrinária quanto espiritual da Doutrina do Amanhecer.
Na criação e formação do Adjunto em sua missão física e consecutiva ação espiritual é realizada após a permissão e outorga do Trino; quando o aspirante é encaminhado ao sacerdote, ou a sacerdotisa , ela o encaminha a espiritualização, a se espiritualizar, isto é, alcançar o direito a uma consagração, isso se refere a uma preparação de plexos e consecutiva ação que lhe permite manipular as forças espirituais de um Ministro de Deus,então após alcançar essa condição , o aspirante a adjunto volta a sacerdotisa, ela avaliando essa espiritualização ela o encaminha ao Trino que outorgará essa condição ,o Mestre passa a ser um Adjunto com todas as prerrogativas físicas espirituais para a formação de um povo.
Na compreensão de nossas coisas espirituais precisamos abrir mão da visão das ações humanas principalmente do julgamento, saber separar o homem ou personalidade do Mestre ou sua individualidade,perceber que as ações do Mestre na representatividade de sua hierarquia sobrepõe se as ações humanas.
Temos ainda dois Trinos Presidentes Triadas encarnados que foram classificados e consagrados por uma Clarividente. É evidente que ansiamos por um desfecho no processo de continuidade da direção da Doutrina do Amanhecer,também não podemos esquecer que são homens que tem um plexo físico portanto, sofrem a ação da condição inerente a esse plexo que nos lembra que podem falhar em suas ações mas, que por seu juramento e compromisso espiritual procuram acertar.
Resumindo mesmo com todo o poder confiado por seus Ministros, esses homens tem seu limite de ação em sua condição de gerir nossa doutrina, e essa condição legitima de representar nossa Clarividente é de suma importância que seja respeita e avaliada , e nós outros, que compomos esse sistema doutrinário ,em nossa condição de Mestres temos uma força decrescente a ser honrada,avaliada e repensada.
Gilmar
Adjunto Adelano