ANIVERSÁRIO DE TIA NEIVA

ANIVERSÁRIO DE TIA NEIVA

                Salve Deus!

                Se estivesse encarnada Neiva Chaves Zelaya, a nossa Tia Neiva, estaria completando oitenta e nove anos de idade. De seu desencarne em 1985 muita  coisa aconteceu em nosso meio. Lenta e gradativamente outros pilares que sustentaram esse sistema doutrinário chamado Doutrina do Amanhecer foi nos deixando, uns pela ação normal existencial, outros por não concordarem com a metodologia que vem sendo aplicada e alguns mais comprometidos com o pensamento original de Tia Neiva vem tentando manter essa essência viva para que os mais jovens possa ouvir como quem ouve um conto de fadas como surgiu essa doutrina e quem foi ou é Neiva Chaves Zelaya.
                De formação simples e católica original tinha padres e freiras em seu meio familiar, acostumada a beijar a mão desses religiosos, casou se com Raul Zelaya Alonso, ficando viúva muito jovem, por volta dos trinta e três anos de idade. Nessa época começa as primeiras manifestações de ordem mediúnica que a leva a procurar repostas em vários setores religiosos e até de um psiquiatra na então Novacap em Brasília.
Não encontrando as tais respostas, por meio próprio, e auxilio dos espíritos que numa forma vivencial ela entra em um mundo fantástico onde um Cacique boliviano e uma cadeirante que tinha como missão vender flores a conduz a um povo espiritual cuja missão seria colocar nesse terceiro plano uma nova forma desobsessiva que não deveria ser propriamente uma religião, embora com a grande maioria de seus elementos ter um sentido plenamente religioso.
Com a ajuda de um sociólogo Chamado Mario Sassi, o qual decodificou suas visões, Neiva reúne se em vários lugares na formação desse sistema doutrinário.
Primeiramente reúnem-se na Cidade Livre do Núcleo Bandeirante, depois num local chamado Serra do Ouro, entre Brasília e Alexânia, depois em Taguatinga e por fim chegam aos arredores de Planaltina DF em 1969 e ai nasce o Vale do Amanhecer.
No Vale através de sua Clarividência é criado, montado todo um sistema ritualístico baseado em cores, formas e cânticos que não havia até então em nenhum lugar desse planeta. Tantos os rituais quanto as construções arquitetônicas são únicas, elaborando assim uma ajuda que pessoas acometidas de males físicos e espirituais encontraram ajuda e muitas vezes cura.
                Os adeptos ou afiliados nesse sistema em sua grande maioria eram pessoas que já haviam procurado outras formas de religiosidade, pessoas que haviam perdido a esperança em si mesmo e que através da visão de Tia Neiva encontraram-se e assim passariam a ajudar a outros que buscavam a doutrina em busca de cura.
                Junto com sua família biológica Tia Neiva erigiu e ordenou todos o sistema doutrinário que hoje temos. Sua visão de clarividente trouxe dos planos espirituais uma forma diferenciada cuja programação está prevista por aproximadamente trezentos anos.
                Como Clarividente ela tinha condições de ver passado, presente e prever o futuro. Deixou um código de leis e uma hierarquia  física que daria sustentação a doutrina, esse sistema baseado em leis espirituais foge do usual sistema jurídico humano, era pelo menos o que Tia Neiva queria.
                Em 1985 começa uma preparação oculta, silenciosa de sua volta aos planos espirituais, acometida por um enfisema pulmonar foi internada várias vezes no Hospital Santa Lucia, e em 30 de outubro de 1985 a noite no Turigano ela faz sua última troca de rosas com o Mestre Tumuchy e as rosas de plástico que muito gostava quinze dias depois ornamentariam a Pira do templo mãe que receberia seu esquife.
                Hoje Tia Neiva continua uma ilustre desconhecida e nos leva a uma indagação delicada e bastante preocupante:
                Temos o que hoje comemorar?
                Temos um sistema doutrinário espiritual que não tem como ser dividido, porém por força de alguns caímos no padrão dos demais e fomos as barras dos tribunais e a direção jurídica humana da doutrina está fragmentada, realmente dividida.
                Não me tomo na condição de juiz cujo julgamento não me compete, encontramos um grupo de Doutrinadores que se acharam no direito de se intitular como dirigentes espirituais e alteraram o curso deixado pela Clarividente, hoje temos dois Trinos encarnados e com um deles que resolveu tomar seu próprio caminho auxiliado por um dos primeiros Devas, um filho biológico de Tia Neiva, baseado em leis humanas conduz o Templo Mãe e alguns templos do Amanhecer e o Trino Ajarã que procura de forma cuja lei outorgada por sua mãe lhe permite conduzir a doutrina o mais próximo possível de sus originalidade.
                Com quem está a razão?
 Acho que a consciência de cada um é seu melhor guia, o que sabemos é que existe um código de leis que DOUTRINAS, oferece a quem resolve dela participar e automaticamente se compromete a seguir. Tudo está muito claro em sua lei maior que é a Hierarquia e força decrescente.
E hoje neste 30 de outubro no ritual de troca de rosas muitos de nós estarão perfilados, buscando essa espiritualização.
Quem sabe, como muita gente de bom coração espera que com uma varinha de condão esses dirigentes sejam tocados e voltem a se unificar, impossível...Não é..Mas enquanto isso vamos contando com muita gente séria e honesta que não deixa Tia Neiva morrer irá conduzir e levar o compromisso que assumiram perante a si mesmo e diante de Jesus.

Gilmar
Adjunto Adelano