OS CAMINHOS DA DOUTRINA


OS CAMINHOS DA DOUTRINA DO AMANHECER


Salve Deus!
            Em 2002 o Trino Ajarã em uma de suas reuniões manifestou sua preocupação com nosso corpo mediúnico e disse que nosso povo estaria ficando doente, e tínhamos em nossas fileiras destinadas aos pacientes muitos de nossos médiuns.
            Passou-se mais de dez anos e, encontramos ainda entre nosso povo muita desinformação assim como, uma evasão doutrinária que tem preocupado os Adjuntos Presidentes.
É bem verdade (isso considerando a doutrina ainda uma unidade indivisível), que crescemos e continuamos a crescer mas, também temos que considerar que esse crescimento não conta com a assistência por parte de seus dirigentes como deveria ter.
Por mais que não queiramos admitir, os rituais ou a pratica ritualística não é a mesma em todos os templos. Muito embora nossos desenvolvimento tenha grande parte de sua essência mantida e  sabemos que o mesmo ainda segue os mesmos princípios da década sessenta, hoje contamos com aspirantes a médiuns que tem um perfil completamente diferenciado e que chegam a doutrina com a mente mais aberta, e isso acarreta duas situações completamente distintas, a primeira é que a aceitação da vida etérica por parte dos mesmos é bem maior, a outra já bem mais complicada é que nossos dirigentes e nossos instrutores não conseguem atender as indagações feitas por quem está hoje desenvolvendo e dessa forma a evasão tem sido  bastante grande.
            É preciso considerar o investimento que os Mentores fazem para seus tutelados para que possam resgatar suas dividas transcendentais. O Ministro ao levar um médium ao castelo de iniciação tem que realizar uma movimentação de força enorme com os cobradores daquele aspirante... E logo depois ele deixa a doutrina, pois não encontra nela o suporte para sua vida e o vazio que antes existia em seu interior continua e as vezes, maior.
            Até mesmo entre o corpo mediúnico e principalmente entre os médiuns Aparás há uma carência muito acentuada a esse segmento por parte dos Doutrinadores quando há uma manifestação do comportamento do indivíduo, ainda sem saber corretamente diferenciar entre manifestação mediúnica e uma situação de ordem psicológica, nosso povo procura a fonte  mais próxima que atenda suas inquietações e indagações mesmo que seja fora da doutrina e assim vamos perdendo nossos médiuns.
            Na faixa da instrução e informação mediúnica cresce o fanatismo e o misticismo, devido à falta de informação doutrinária, nascem o mitos levando uma divinização exagerada levando a nossa doutrina a beirar e chegar ao que Tia Neiva chamava de “velha estrada”.
            A diagnose mediúnica sempre foi o ponto alto que o Mestre Tumuchy sempre apostou que tínhamos como solução para resolver os problemas gerados pela tônica atual do planeta, nos escondemos através de chavões ou explicações que tentam não mostrar a realidade que vivemos. Nossas unidades doutrinárias, os templos do Amanhecer têm funcionado heroicamente com o empenho de muitos Adjuntos Presidentes que tem buscado em seu princípio intuitivo e devido à falta de contato mais efetivo com seus dirigentes usam da antiga frase “Uso e aplico o que tenho em minhas mãos”.
            A cura desobsessiva que é nosso carro chefe carece de informação, renovação de nossas atitudes, conhecimento de si mesmo, esvaziamento dos egos e uma real transformação interior e quem sabe ler a carta da lei do Adjunto que postaremos alguns trechos!
            Meu filho Ajunto Koatay 108: sem a pretensão de te fazer um monge ou um robô místico, vou te descrever as pequenas obrigações de um ATIVO ADJUNTO.
Tornar-se um perfeito cavalheiro e aprender a dar o devido respeito aos outros.
Não passar simplesmente de um religioso acomodado nas maravilhas do misticismo.
Aprender a ser tolerante, mesmo diante da provocação dos seus colaboradores.
Seguir os princípios do Santo Evangelho e de suas revelações, fixando-se nas comunicações reveladas.
Não causar ansiedade para os outros pelas ações de teu corpo, pelos pensamentos de tua mente ou por tuas palavras.
Não se identificar falsamente com grosserias, fazendo-se de melhor, abusando de tua autoridade.
Não se apegar a nada que te faça sofrer.
Procurar assumir teu compromisso de família com amor, mesmo à distância dos mesmos, ou quando, por incompatibilidade, te afastares da esposa e dos filhos.
Discernir entre o que é importante e o que não é; ser firme como uma rocha quando à tua frente tiver que decidir entre o Bem e o Mal. Esforçar-se para averiguar o que vale a pena ser feito, não usando, em vão, as tuas armas.
Não entregar tua alma à fatalidade, que é a verdade infernal, possessões da fatalidade das almas enfraquecidas, sem fé em Deus. Estamos com duas espadas com que podemos nos defender. Filho, o segredo das Ciências Ocultas é o da Natureza mesmo. É o segredo da geração dos Grandes Iniciados e dos mundos de Deus. Os grandes talismãs da Vida, a substância criada, é chamada ATIVIDADE GERADORA. A manipulação do fogo na mirra, sal e perfume.
Evitar a disciplina relacionada com os outros. Lembra-te, sempre, que enquanto tiveres um corpo material terás que enfrentar as forças do teu plexo físico: nascimento, velhice, doença e morte. Não devemos pagar nada além das necessidades da vida física.
E, para melhor servir em tua hierarquia, criar uma personalidade em frente das três portas da Vida Iniciática, sem ironia, com distinção do que respeita, amando!”  (Tia Neiva, 17.5.78)
           
            É  bom pensar...refletir!