RETROSPECTIVA DOUTRINARIA


PEQUENA RETROSPECTIVA DOUTRINARIA

            Salve Deus!
            A cada dia que passa assisto os valores deixados por nossa Clarividente serem desconsiderados, alterados e por não dizer ser tratados como algo que não existe ou existiu.
             A Doutrina do Amanhecer em seu compêndio de informações espirituais os quais, foram decodificados por Mario Sassi para que pudéssemos compreende-los melhor, informações essas que Tia Neiva viu, registrou e transcreveu sempre jurando a Jesus que arrancasse seus olhos se algum dia dissesse uma mentira ,  integrou-se ao evangelho ortodoxo tradicional e deu vida ou origem ao Evangelho redivivo, que na verdade é a prática dos ensinamentos desses espíritos milenares, traduzido nesse evangelho do jaguar em força iniciática ou Cabala de Nosso Senhor Jesus Cristo.
            Partindo de seu início na Cidade Livre do Núcleo Bandeirante em meados da de cada de cinquenta, a então Neiva Chaves Zelaya junto com poucos outros personagens desse nosso enredo chegam aos arredores de Alexânia Go e sob a forte intuição do cacique da Lança Branca, encontram Tiãozinho perto da Serra do Ouro e ali  lançam bases da UESB (União espiritualista Seta Branca), começam um período de adaptação e duro aprendizado e também uma acomodação da mediunidade do que viria a seguir visto sob os olhos da clarividente Irmã Neiva.
            Esse período difícil de reajustes cármicos mas, também com a presença disciplinada de Mãe Yara e Pai João, os conduzem em mais uma mudança, e então chegam aos arredores de Planaltina em 22 alqueires de terra dão início ao objetivo de Pai Seta Branca que certa vez disse a Neiva:
            “Você terá milhares de filhos!”
            E num vale onde o amanhecer de cada dia prometia sempre a esperança de uma vida melhor surge o Vale do Amanhecer. Nessa reorganização dos filhos de Pai Seta Branca a iniciação Dharman-Oxinto alavanca o missionário preparado para o terceiro milênio. E novamente as palavras do franciscano de Assis quando resolve dizer que a Neiva que ali seria implantado uma nova doutrina e não seria uma religião na seguinte frase:
            “Cuidado com as grandes filas que avançam estar dizendo em nome de Deus; não são como vós que trabalham para distribuir.”
            Para ser uma doutrina necessitava ser implantada normas e regras, essas viriam do mundo espiritual, seriam distintas das leis humanas mas, obedecendo o que regia nossos governantes. Nasce o Doutrinador!
            Pai João de Enoque firma sua condição de executivo espiritual e transmite seu pensamento disciplinar na formação dessa base doutrinaria.
            Em 1974 com o advento do maior poder cabalístico já implantado nesse planeta constrói-se na pequena comunidade do Vale do Amanhecer a estrela candente, um ritual que tinha por finalidade transmutar, mudar a tônica energética do planeta, dessa maneira espíritos que perderam a forma humana seriam tratados e redirecionados aos hospitais espirituais para tratamento.
            EM 1978  Tia Neiva consagra o Adjunto e nessa formação chega também o Trino e é formada a Hierarquia da Doutrina do Amanhecer e dando vida a sustentação de nossa força cabalística e iniciática que é a força decrescente.
Em 1984/85 Tia Neiva os Adjuntos rama 2000 a Arcanos Rama 2000, dessa vez espíritos, Ministros desses Mestres que tem um compromisso com o planeta e entramos no terceiro milênio cientes dessa força.
            Em 1985 Tia Neiva sua origem espiritual, e deixa a doutrina com o Doutrinador,tudo pronto e os Trinos Presidentes cuidam em manter numa dinâmica espiritual a manutenção da doutrina e seu crescimento.
            Em 1985 desencarna o Trino Tumuchy e em 2004 o Trino Araken.
            Os Trinos Sumanã e Ajarã assumem a condução da doutrina, os trabalhos iniciáticos que só haviam no templo Mãe ,também chegam aos templos do Amanhecer.
            Então, mesmo com a ausência de Tia Neiva a doutrina mantém sua originalidade e os rituais e ensinamentos da Clarividente são mantidos em harmonia.
            Hoje precisamos sempre levar em consideração esse histórico acima e conservar a originalidade dessa doutrina, lembrar que ela é sublime em sua essência e perfeita na execução em seus rituais onde nos chega essa força cabalística.
            Porém como a doutrina é essencialmente cármica, nem todos os comportamentos de nossos médiuns são em pleno acordo com que aprendemos.
A personalidade ainda interfere no que deveria ser atributos da individualidade e estamos correndo o risco de perdermos ou funcionarmos sem toda a força que antes tínhamos, ser um mestre que segue a Pai Seta Branca e seguir seus ensinamentos e suas leis. Devemos sempre levar em consideração o Mestre, pois este é perfeito em suas ações e suas forças, o Mestre nunca divide seus irmãos ou leva-os aos caminhos que não sejam da doutrina e terminando com um pequeno trecho da Clarividente da carta infusão:
·      “Jesus! Eu mergulho fundo no abismo do oceano em forma de espaço para obter pérolas perfeitas para enfeitar aqueles que passaram o tempo de brincar. Então, sabendo que um olhar lá do Céu azul me internara em silêncio, quando eu abandonar o leme sei que é chegada a hora e alguém me substituirá em meu posto, e o que resta fazer destas pérolas será feito instantaneamente. Como é perfeita esta luta! Então, não sairei mais, de porto em porto, neste barco estragado pelos temporais. E agora anseio por morrer dentro do que não morre! Eu modularei, a meu ver, as minhas notas no eterno... nas pracinhas... nos albergues... onde for meu! Soluçarei ao revelar o meu último segredo. Mais uma vez depositarei meu som silencioso aos pés dos que me levam de porta em porta, fazendo eu me encontrar comigo. Todas as lições que aprendi! Eles me mostraram os caminhos secretos e puseram diante de meus olhos infinitas estrelas... Eles me guiam durante o dia inteiro pelos mistérios dos carmas nos prazeres e na dor. E, por fim, me envolveram nos caminhos da Doutrina e me fizeram Mãe, em Cristo Jesus, do Doutrinador e me ensinaram o canto imortal e me fizeram amor!... Como a nuvem chuvosa do inverno, que se arqueia toda sob seu aguaceiro, deixe, Jesus, que todo o meu espírito se incline de porta em porta, numa única saudação: o Doutrinador!” (Tia Neiva, Infusão, 18.5.78)


Gilmar
Adjunto Adelano