O TEMPLO MAE


O TEMPLO MAE
                Salve Deus!

                A pequena rodoviária recebia amigavelmente seus passageiros, ficava quase no fundo da Casa Grande onde a Clarividente costuma-se sentar e com seus olhos profundos observava a entrada e saída dos visitantes da cidade do Vale do Amanhecer.
Era a década de oitenta as especulações giravam em torno do processo político do Brasil, os militares estavam deixando o poder e promovendo a democracia tão sonhada, esperada e sonhada por tantos militantes. No Vale as coisas pareciam que não atingia sua população fixa  e flutuante. Nos finais de semana as caravanas de médiuns oriundos do Distrito Federal e de outros estados dava um ar festivo a pequena comunidade.
                Originalmente projetada pelo Mentor da Corrente, Pai Seta Branca, era para ser um local realmente de retiro espiritual, onde os médiuns tivessem um refúgio e pudessem dedicar a doutrina curando suas enfermidades físicas e espirituais também auxiliando na limpeza energética do planeta. Mas, nem mesmo Deus conhece as reações humanas, e o Vale de Pai Seta branca foi lentamente tomando a configuração de uma pequena cidade.
                Como local mais freqüentado na comunidade, o Templo do Vale do Vale do Amanhecer é uma construção ímpar, sua arquitetura lembra as construções incaicas onde as pedras dão forma a uma grande nave   e também serve de  elemento catalisador de energia. Duas grande cascatas projetam entre uma grande porta que durante o dia e até altas horas ficam sempre abertas,  a esperar seus visitantes, pacientes e médiuns.
Quando entramos no Templo Mãe, sentimos como se estivéssemos entrando num mundo diferente, quando não estão os trabalhos em funcionamento, há uma paz reinante e um cheiro característico próprio nos levando realmente a sentir a presença do sagrado que reina majestosamente em toda a sua plenitude.
                Logo na entrada as palavras do evangelho a lembrar que Jesus é o caminho, que somente através dele possamos alcançar o caminho da purificação espiritual.
 Entrando pelo lado esquerdo deparamos com a Pira, com seu véu do dia e da noite, e  a mesa evangélica, que logo após está o Randy ,como se um grande ambiente destacado como uma imensa sala de cirurgia.
                Na parte de traz da Pira, está a presença Divina, local onde os médiuns fazem sua preparação conectando com seu povo e as estações espirituais. Neste local o Cristo majestoso, com suas mãos sempre estendidas nos dá a certeza de tudo quanto um dia recebemos de graças, devemos fazê-lo da mesma maneira.
Atrás do Cristo fica o local onde a Clarividente atendia pessoalmente os mais aflitos, e do lado esquerdo no meio do templo o Radar de comando, onde os Presidentes do dia administram e conduzem os trabalhos mediúnicos. De lá se observa vários locais onde os médiuns sentam se de dois a dois, que chamamos de Tronos, onde os Pretos velhos travam uma comunicação com os pacientes e médiuns. Logo após está a Imagem de Pai Seta Branca com sua seta imaculada nas mãos e onde os médiuns têm a liberdade de fazerem suas preces numa comunhão total com os planos espirituais.
                Terminando no sentido de quem entra no Templo, fica a cura iniciática, dez bancos e um local logo a frente para os médiuns de indumentária se reunirem para executar essa cura espiritual.
                Os demais locais que são o Castelo do Doutrinador, a Indução, e logo o Oráculo de Simiromba, onde Pai Seta Branca incorpora abençoando e energizando todo o templo.
Logo após a Linha de Passe está a Cruz do Caminho, sua forma lembra um navio, nesse ambiente são realizados os trabalhos com o mesmo nome e casamentos e batizados.
                Dessa construção surreal projetada que chamamos de Templo Mãe, idealizado espiritualmente por um povo muito avançado e construído por uma sergipana chamada Neiva Chaves Zelaya, começou na Cidade Livre do núcleo Bandeirante, depois migrou para perto de Alexânia, Taguatinga, dando origem a outros templos no Brasil e exterior. Nesse ambiente sagrado encontramos nossa paz, somos sacerdotes, iniciados que deveríamos nos posicionarmos como tal.
                Segundo o Trino Ajarã o Templo Mãe tem o charme de sua Mãe e por sua destinação inicial deveria ser onde as decisões maiores fossem distribuídas a todos os outros templos.
Grandes Doutrinadores ainda hoje ministram suas palestras doutrinárias, médiuns de todas as classes sociais envergando o mesmo uniforme e a doutrina trazida do céu por sua Mãe Clarividente.
                Porém estamos e somos regidos por uma lei cármica poderosa onde a   personalidade nem sempre é deixada de lado em detrimento dos valores espirituais, e o Templo Mae lenta e silenciosamente está ficando distante dessa vontade do corpo mediúnico de conhece-lo e sentir a mão de Neiva Chaves Zelaya , de cada grande instrutor que por ali passou, mas essa mesma espiritualidade não tem pressa e um dia o propósito do Templo Mãe será alcançado.
Gilmar
Adjunto Adelano.