ESTADOS ALTERADOS DA MENTE E MEDIUNIDADE


ESTADOS ALTERADOS DA MENTE E MEDIUNIDADE

                Salve Deus!
                A ciência procura desvendar os segredos da mente, descobrir os canais pertinentes que a levam a entender e desvendar os mistérios de nosso cérebro.
O poder e a capacidade que temos de participar, de integrar-se as inúmeras realidades que conseguimos nos conectar é imensamente grande!
                Os sem números de drogas psicoativas que procuram normatizar e normalizar o funcionamento do cérebro são realmente impressionantes, porém nem sempre as atividades alteradas da mente são decorrentes de patologias psíquicas ou mentais.
                O ser humano é conectado via sensorial ao mundo que o cerca, os cinco sentidos, cada um de sua maneira o leva a ter a percepção dos fatos e das coisas concretas, mas aquelas que fogem a análise da grande maioria e que ainda requer explicação racional caem no campo da metafísica ou do sobrenatural.
                Torna-se extremamente difícil divisar a linha tênue que separa a realidade do mundo das coisas extraordinárias, nisso podemos considerar as clássicas ações que levam o indivíduo a agir e interagir com outras realidades as quais no mediunismo chamamos de  mundo espiritual.
Desde de à muito tempo sabe se da existência dos micróbios, mas sua presença só foi notada com a invenção do microscópio. Portanto, existiam, mas não tínhamos como provar.
                Em nossos templos é perfeitamente normal nos depararmos com esses estados alterados da consciência. E é na verdade um dos maiores motivos que levam o homem a buscar as religiões e as doutrina esotéricas e exotéricas.  O pressuposto é que elas tem a chave, a magia, os segredos do ocultismos e através de suas atividades ritualísticas e sacramentais introduzir,desvendar,controlar e condicionar o indivíduo a lidar com esse mundo assimétrico , ou dimensões paralelas a nossa.
                Mas fica porém a pergunta, porque alguns indivíduos conseguem viver, controlar esses estados alterados da mente sem que a realidade a eles mescladas não lhe tirem o equilíbrio?
Como identificar em nossos templos o que uma psicose, uma neurose, ou até um estado esquizofrênico de uma avançada condição mediúnica desestabilizada?
Fomos e estamos preparados para isso por uma Clarividente que inconscientemente desafiou todos os códigos da ciência psíquica, que ao procurar um psiquiatra na NOVACAP, deu a ele provas da existência de um mundo espiritual real, que existe, age , concomitantemente com  as nossas atividades humanas ao descrever as atitudes do pai do psiquiatra que havia desencarnado a sessentas dias.
                Mediunidade e atividade neuróticas ou psicóticas se diferenciam pela forma como acontecem e por sua conexão com os fatos em si e a realidade com o paciente que chega aos Templos do Amanhecer.
                Também é lógico e evidente que estamos falando sempre das atividades mesmo que fora do sentido humano são consideradas normais. Ou seja, precisa-se levar em conta as terríveis obsessões severas, aquelas cujo individuo está plenamente dominado pelo agente obsessor e cuja cobrança espiritual descamba para a vingança sobre o indivíduo ou por alguém próximo a ele. Nesse as ações demonstradas pelo obsediado beiram ao suicídio ou mesmo ao homicídio.
Dessas alterações mentais temos que levar em conta os médiuns que tem aspectos de vidência e audiência, cujas visões são mescladas com a realidade, onde o paciente não consegue divisar o que é real ou não. Da mesma forma aquele paciente que diz ouvir vozes.
                Uma das características imediatas na identificação de um fenômeno mediúnico e um psiquiátrico é a forma dessa manifestação. O médium normalmente traz consigo toda uma história ligada as situações divinizadas e a relação com sua missão. Tão logo seja integrado ao mediunismo ou desenvolvimento sua condição vai sendo normalizada e ele reencontra o equilíbrio.
                O Doutrinador aliada a sua condição de verificação mediúnica, cuja sensibilidade desenvolve-se a nível da presença das individualidades ali atuantes, sejam elas sofredoras ou espíritos de luz tem plenas condições de determinar os caminhos e as providencias necessárias para a normalização do médium a caminho do desenvolvimento.
                Dessa forma nossa doutrina não define como prioridade outros tipos de mediunidade que não sejam o Apará ou o Doutrinador.
 Identificando outros tipos de mediunidade, deverá ter o Doutrinador uma postura acima de tudo cavalheira para com o médium em desenvolvimento, ou seja, não negando essa condição, mas colocando a par que essas mediunidades não fazem e não são necessárias para a cura desobsessiva. Podem servir para a vida do médium, auxilia-lo na suas tarefas e vida diária, mas quanto o emprego dentro do âmbito doutrinário não se faz necessário.
                É um assunto vasto e complicado os estados alterados da mente, que na verdade são níveis de consciência que são despertados, ativados no ser humano, e que por vezes são incompreendidos e alia-se a isso o fato dos parentes do indivíduo não aceitar ou não entender essas anomalias naturais; decorrente dessa ação é a busca pelos centros psiquiátricos já abarrotados por pacientes, que alguma dessas situações são distúrbios de origem mediúnica.
                Falamos mais em níveis de consciência mediúnica, a capacidade que certos indivíduos vieram com capacidade de se ligar através dos fluxos de energias geradas pelo cérebro e plexos, cuja ação lhe dá a condição de conectar com outras faixas de energias e nela estabelecer uma ligação. Essa similaridade descortina sua compreensão. A aceitação e entendimento desse fenômeno e a  possibilidade de convivência com o mesmo , mesclada com a missão do homem o leva a ajudar outros na mesma condição. O mediunismo é caminho  para a explicação desses fenômenos e os Doutrinadores precisam estar cada vez mais preparados para esses seres humanos que acorrerão a nossos templos em busca de ajuda, pois os fatores como utilização de drogas com ação psicotrópicas e mesmo os distúrbios sociais e familiares também contribuem para os distúrbios de origem psíquicas ou mediúnicas...
                Gilmar
Adjunto Adelano
Outubro-2013