A ESTRELA CANDENTE



A ESTRELA CANDENTE

            Salve Deus!

            A compreensão da estrutura atômica levou o homem a começar desvendar os paradigmas de sua origem, da conclusão de sua formação e  origem biológica, chegamos ao entendimento de outros corpos e suas estruturas moleculares.
            O mundo dos micróbios é um mundo imperceptível a nossos olhos mas, não é mais invisível. Partículas atômicas das mais diversas formas percorrem nosso planeta a velocidades fantásticas. Portanto, o que nos escapa a percepção física, não quer dizer que não exista. Paralelo ao mundo das coisas concretas, deduz-se que haja outras formas de existência os quais, podemos classificar como espirituais, ou etéricos, portanto hoje sabemos, ou temos conhecimento mundos que coexistem em dimensões fora das três dimensões conhecidas por nós. Dessa forma, tudo que conhecemos e o que ainda vamos conhecer é um produto da energia.
            Em nossa doutrina por sua base cabalística, todo processo do “existir” e seu funcionamento e através da transmutação ou modificação desse “quantum” de conjunto de energias. Basicamente a energia não é boa ou ruim, simplesmente é energia circulante ou veiculante. O resultante da movimentação dessa estrutura energética e força, e essa é que determina o valor ou resultante da movimentação da energia.
            Vamos tentar pobremente entender a nossa maior usina de energias que a Estrela candente.
            Ao ser conduzida nos planos etéricos na Alta Magia, Tia Neiva foi levado Por Humarran ao oráculo de Simiromba, onde também trouxe a diretriz de formar os Trinos e a Estrela Candente. Segundo o Mestre Antônio Maria, ela olhou para o céu e com uma varinha nas mãos riscou no chão o que vira no céu...O desenho de dois triângulos entrelaçados formando uma estrela de seis pontos. Esses dois triângulos um azul e outro amarelo compõe-se de 108 receptáculos de cimentos que foram denominados de esquifes os quais médiuns Doutrinadores se deitam deixando ali seu ectoplasma.
            A Estrela candente para funcionar corretamente necessita de três comandantes ou mais, onde um se posiciona em sua “cabine de comando”, “lembremos que há milhares de anos Pai Seta em uma nave chamada Estrela Candente, foi protagonista na reparação de uma civilização) , e os outros comandantes conduzem os médiuns que irão participar dos três rituais diários , devidamente uniformizados com suas capas em uma de suas muitas jornadas. Certa feita o Primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy disse que a Estrela seria um templo a céu aberto. Se considerarmos as instruções dadas aos Mestre janatãs pela clarividente a começar o preenchimentos dos esquifes na Regência do sol pelos esquifes amarelos, e os azuis primeiramente, no período dos sete dias de lua cheia, iremos concordar com essa afirmação.
            O ritual da Estrela envolve grande precisão, nesses deixados pela Clarividente, quinze minutos antes de começar o ritual, é tocada a sirene, que é um chamado para os médiuns se reúnam na parte iniciática, assim como um alerta no mundo espiritual.
Vamos aproveitar o texto do trino regente Tumarã para descrever esses roteiros:
Neste momento, a Amacê da Estrela Candente emite poderosa energia – Abaluê -, formando maravilhoso arco-íris pelos diversos padrões vibratórios de que é portadora, envolvendo o recinto, partindo do lado esquerdo da Cabine de Comando, contornando os limites da Estrela, dos Quadrantes, chegando até à Pirâmide, de onde retorna, margeando o Lago de Yemanjá e voltando à direita da Cabine. Sob o comando de OXUM MARÊ - Orixá XANGÔ, que tem o poder das Forças da Terra -, protegendo todo o recinto da Estrela de qualquer interferência externa. Os pacientes recebem suas capas, que vão protegê-los de qualquer emanação negativa, e são conduzidos aos receptores da Estrela .
Nesse momento , voltando ao princípio da energia e força, os médiuns partem para uma harmonização e concentração levando suas mentes aos diversos locais onde sintam a necessidade da energia daquele ritual. As cassandras  Catuso e Muruã, passam por sobre os médiuns transformando, conduzindo numa espécie de preparação ou seja, levando e elevando seu padrão vibratório para o nível de energia que começa a se movimentar nesse início de jornada.
            Ao chegar diante do sal e perfume com sua prece própria os médiuns passam a entrar no mundo sagrado da Estrela candente, ionizam-se, dessa forma isolam se não só das influencias espirituais externas como também individualizam-se em Deus Pai Todo Poderoso.
            Esse ritual é tão preciso, que para essa jornada é necessário que haja regentes, responsáveis por essas forças. Então Regente sol,Luz,Lua e Lua sublimação passam a ser os condutores dessas forças ,os quais estarão na  estrela em seus respectivos projetores.
            Em seus projetores os Regentes assumem sua representatividade e com os médiuns posicionados as Amacês continuam sua função curadora e reparadora , nesse momento especial Alufã age nas células orgânicas humanas promovendo sua normatização funcional dando condições para que o próprio organismo se regenere.
            Neste conjunto é projetada a força extra cósmica vital que reabastece o homem, promovendo a recuperação das células que compõe o plexo etérico e físico dos médiuns para que possam melhor executar suas outras funções mediúnicas.
            Quando se dão as mãos todos os médiuns na prece “O senhor tem seu templo...” a Cassandra Aledá-Sétimo, faz a conexão precisa dos médiuns com o Reino Central, e toda a estrela em sua cabalística se transmuta para o Reino Central.
            Ao deitar no esquife, o Doutrinador deixa sua impregnação mediúnica, seu plexo iniciático emana,solta uma espécie de plasma de energético atraindo espíritos que perderam suas características humanas e de forma alguma teriam condições de incorporar em nenhum ser humano nesse terceiro plano.
            Novamente Catuso está em projeção, e a força desintegradora  do Doutrinador aliada ao poder da estrela rompe o Neutron  conduzindo os sofredores a essa cassandra onde serão conduzidos aos hospitais espirituais e casas transitórias.
            O Povo das cachoeiras numa ação fantástica traz de novo a reparação e alimentação fluídica a todos os médiuns ali presente não só usando o poder catalizador e purificador da água que é o elemento de cura como também de nascimento e recomposição orgânica celular, nessa ação Caboclos, Sereias de Yemanjá e o povo das cachoeiras espalham mil luzes em sua Santa benção aos participantes daquele preciso ritual.
            Tia Neiva afirmava que seria impossível que um Médium de indumentária poderia dizer que recebeu ou incorporou um sofredor estando portando essa proteção cabalística onde a capa protege não só o jaguar, quanto a Ninfa. Também afirmava que por detrás da estrela existia o Boqueirão, onde os espíritos  eram “retidos” numa espécie de estufa e no dia preciso eram conduzidos a estrela.
            A  Estrela Candente com seu poder Extra-molecular, tem a capacidade de transformar , reorganizar as células orgânicas e espirituais dando novamente a condição para que os espíritos recupere seu corpo espiritual ou periespirito. Também tem a capacidade afastar espíritos que atuam sobre países ou comunidades. Dentre eles os conhecidos Falcões que atuam sobre os políticos.
            Ela foi realizda uma vez invertida, ou seja os Aparás deitaram nos esquifes e os Doutrinadores ficaram nos banquinhos. Ao terminar o trabalho Tia Neiva anunciou:
            Meus filhos amanhã de manhã liguem seus rádios e irão ouvir que a guerra das Malvina(embate bélico entre Inglaterra e Argentina) acabou!
            Existe uma gravação de nossa Clarividente na qual ela fala sobre os poderes de nossa Estrela Candente; Em determinado momento ela afirma, “Se tampar perde”, se referindo que a estrela não dever ser tampada.
            Sem aqui levantar nenhuma bandeira partidarista ou afirmar erros ou acertos deixo minhas observações de um Doutrinador!
            O Primeiro Mestre Sol Trino afirmou que “A Estrela candente é um templo a céu aberto”
            Os comandantes tem afirmado a dificuldade visualizar a formação da Estrela com seus médiuns, ficando a interrogação do comandante que não consegue visualizar seus comandados!
            Considerando a condição técnico mediúnica doutrinária e suas potencialidades cabalísticas e atômicas, temos que considerar a influência do Sol e Lua em nosso trabalho mediúnico, portanto as radiações ou influencias do íons solares diretamente  sobre os espíritos é tema  bastante conhecido em nossa literatura, os esquifes recebem essa projeção diretamente não do Sol quanto da Lua quando estão sem nenhuma cobertura, o trabalho de anodização (sete dias de lua cheia), episódio esse que chegou a chamar festa dos deuses quando houve a desintegração dos Maias , hoje vivido na Unificação e Anodização é a influência ou recepção direta desses astros. Quem pode afirmar em sã consciência que uma Estrela coberta esses poderes estão cem por centos ativos...
            Por fim, após as três consagrações todos se dirigem ao Turigano para reverenciar os Senhores desse trabalho e numa jornada no interior do templo entregam as forças adquiridas nesse ritual.

            Gilmar
Adjunto Adelano
Stemebro-2013