O DOUTRINADOR


O DOUTRINADOR

            Salve Deus!
           
            No campo técnico mediúnico existe toda uma movimentação de forças que ainda nos foge a compreensão. Muito embora, a mediunidade do Doutrinador do Amanhecer já esteja com mais de quatro décadas suas definições e principalmente seu campo de ação ainda continua para nós outros um pouco desconhecido.

As responsabilidades atribuídas ao Doutrinador o coloca numa via de mão dupla,ou seja, suas atitudes precisam obedecer as leis espirituais, as humanas e ainda não deixar de atender ao requisito mais delicado e pelo qual sua encarnação foi determinada que é a cura desobsessiva.
Tendo como forma mecânica espiritual o tônus da ação mediúnica convergente para a cabeça , onde toda a irrigação sanguínea é para lá direcionada, sua percepção do ambiente físico e espiritual se acentuam de tal forma que mesmo inconscientemente, sua condição de estar conectado com tudo que acontece ao seu redor o faz “incorporar”, isto no sentido literal da palavra com tudo que ali acontece. Suas ações portanto, são direcionadas para o momento em que se faz necessário suas atitudes de instrutor, comandante, doutrinando e harmonizando de maneira suave, quase que imperceptível o ambiente em que está sobre seu comando.
            Por outro lado, e não muito raro, o Doutrinador fica limitado, podemos até dizer, sem saber que decisão tomar diante das situações que em que se vê lado a lado com várias condições:
            a) Ter que executar os rituais normativos, cuja funcionalidade exige um número exato e preciso de médiuns, e por vezes não há esse  numero quantitativo e os pacientes que foram aquele templo em busca de auxilio ou atendimento espiritual.
            b)Expandir sua mediunidade e dela fazer pleno exercício buscando as intuições que lhe chegam e o medo de quebrar as leis e ensinamentos tanto do realinhamento quanto do Livro de Leis.
            c) Ao atendimento dos médiuns Aparas, que estão sob sua responsabilidade, não importa o nível de desenvolvimento dos mesmos, atendendo as questões mediúnicas que atingem esses médiuns que estão em plena expansão, diga se isso em todos os sentidos, e essas situações tem levados muitos de nossos médiuns a mudar de mediunidade indevidamente, criando situações de desequilíbrio espiritual, e os Doutrinadores não tiveram informações e instruções como lidar com essas situações.

            d)O Adjunto Presidente, ponto central da recepção de informações espirituais em um templo que também ter que obedecer a um princípio hierárquico, ter  que lidar entre os aspectos de sua personalidade e sua individualidade, conviver com os problemas de cunho espiritual e físico não só de seu povo, mas também dos pacientes que ali buscam atendimento e auxilio , conciliando entre as atitudes a serem tomadas e não quebrar as regras que norteiam sua condição de comandante maior daquele templo e ser ao mesmo tempo o médium, o medianeiro a serviço de seu ministro.

            Certa feita em uma palestra com o Primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy Mestre Mario Sassi, nos falou sobre a lei e o espírito da lei.
            “A lei meus Mestre é inflexível, mas o espírito dessa mesma lei nos faculta caminhar dentro da mesma com grande flexibilidade”
            O desafio é estabelecer o limite desta flexibilidade e caminhar dentro das possibilidades e alternativas que é dado ao Doutrinador para não ser um Robô místico nem  tão pouco ser um Monge. Mas que sem dúvida, um dos caminhos é a mediunização, compatibilizar os aspectos técnicos mediúnicos e a evangelização, ou seja, o Evangelho Redivivo.
Também sabemos que a abnegação do chamado de aspectos nocivos da personalidade no trato com o povo que lhe confiado e conduta moral doutrinária o farão estar aberto aos influxos de seu Ministro e que as atitudes puramente conscientes, doutrinárias o levarão a um porto seguro, porque o Doutrinador o sonho e criação de Tia Neiva por si só, já tem esses atributos, e que na maioria da vezes, só lhe faltar abrir as porta sensoriais e buscar em sua individualidade as respostas que o farão ser um comandante a serviço da cura desobsessiva. O respeito a hierarquia o levará  manter a força decrescente mantendo a união de todo o sistema doutrinário.
            Sabemos que a caminhada é longa e difícil, mas sabemos também que se quisermos podemos conseguir.

            Gilmar
Adjunto Adelano

Junho 2013