CONVERSA SÉRIA


CONVERSA SÉRIA
            Salve Deus!
           
            Nossa Doutrina é relativamente jovem, tendo seu começo na década de cincoenta nesse plano físico , hoje procura recuperar sua essência, sua real forma e tudo quanto foi deixado pela Clarividente Neiva Chaves Zelaya.

Muitos buscam em acervos que andam espalhados frases , sejam em áudio ou escritas por Tia Neiva para justificar mudanças que são de interesse pessoal. Porém segundo afirmação de Carmem Lucia Zelaya, há um grande perigo nessas ações, pois muitas dessas citações eram para aquela época.

O processo da implantação dos rituais e o próprio dinamismo da doutrina foi lento e gradual assim como, o próprio processo mediúnico da Clarividente. Ela afirmava que as vezes para ela era difícil interpretar sua visões, então ela começava um ritual pelos primeiros passos, logo depois ia reafirmando até que o mesmo se enquadrasse corretamente naquilo que realmente a espiritualidade desejava.

            Interpretar o fenômeno Tia Neiva não  é tão simples; Ela tinha uma visão diferenciada de tudo quanto lhe rodeava. Sua visão era espacial, ou seja , ela via o “todo” assim como, as conseqüências dos fatos como se apresentavam.  Para a Clarividente seus médiuns era a resultante de várias encarnações, portanto diante do livro de cada um, de suas heranças ela ira “encaixando” aquele Mestre ou Ninfa dentro do processo hierárquico da doutrina. Portanto, temos que concluir que na doutrina o processo é por herança e quando falamos nesse processo, temos que concluir que os veteranos Mestres que estavam e podiam ter acesso a Clarividente receberam o que lhes eram por direito transcendental.

Em 1985 quando desencarnou Tia Neiva deixou toda uma estrutura hierárquica pronta, de tal forma que mesmo depois que esses mestres fossem desencarnando, a condição dos poderes que ela deixou para os mesmos lhes dessem condições para dar continuidade ao processo evolutivo da Doutrina.

É muito triste assistirmos por parte de Mestres que não tem a outorga da Clarividente criar classificações, postos e representatividade a outros que iludidos por posicionamento dentro do processo doutrinário aceitam essas condições  e postos. Se lembrarmos da lei Dharman-oxinto veremos uma frase muito interessante:

            “Um iniciação mal conduzida não sei a quem fará mais mal , a mim Kotay 108, ao iniciado ou a quem o conduziu até o salão iniciático”

Em uma carta dirigida a seu filho Gilberto Zelaya; ela transfere e concede ao mesmo os poderes para realizar qualquer consagração nessa doutrina.

            Sem de qualquer forma apregoar qualquer  forma de partidarismo doutrinário nós outros, Mestre de um Sacerdócio único, chamado “Doutrina do Amanhecer”, precisamos reavaliar nossas ações e pensamentos, e urgentemente voltarmos para a conduta de um mestre que preserva as leis deixadas pela Clarividente sob o risco de estamos falando só, estar deixando nossas famílias, para ir ao templo e ser a voz que não ecoa, estarmos agindo puramente no plano material. Não se trata de estar seguindo esse ou aquele. É muito cômodo , principalmente quando aqueles que estão na condição de dirigentes, mesmo sem a outorga da Clarividente ou dos dois Trinos Presidentes Triadas encarnados, levam outros que desavisados, sem uma formação doutrinária realmente cristã que buscam como cavaleiros mercenários de outrora  engrossar fileiras e vender suas habilidades , mesmo que inconscientemente ,e ainda mais, levando os novos Mestres que estão chegando a esquecerem os Mestres Veteranos e suas orientações, juramento esse que é realizado e infelizmente quebrado.
            Hoje estamos buscando unificar a doutrina do Amanhecer, frase absurda para um povo que veio da mesma Clarividente, fizeram as mesmas iniciações,tem os mesmos juramentos.
            Nossa doutrina é essencialmente cármica, estamos a mercê de uma multidão silenciosa, invisível que nos assiste esperando uma oportunidade para nos aplaudir ou colocar-nos na sombra das atitudes de tantas outras atividades religiosas e doutrinárias que os jaguares já estiveram em tantas encarnações e que hoje na luz de novo Amanhecer que dá esperança todos os dias para uma nova retomada de consciência, “consciência cristica”  e tendo como carro forte o Doutrinador, o filho verdadeiro e querido de Tia Neiva.
            Não me importo como julgamento pelo que aqui posto, pois minha intenção, meu juramento de Doutrinador, de Mestre me diz que a causa não é pessoal, mas sim de um povo, ainda que minoria,  que procura seguir na medida do possível a doutrina que aprendeu com Tia Neiva, mesmo muitos que não a conheceram , mas que honram seu nome e sua missão.
            Gilmar
“Doutrinador”
Junho-2013