RELIGIÃO E DOUTRINA


RELIGIÃO E DOUTRINA

            Salve Deus!
            Em nós outros Jaguares, temos como companhia uma dúvida que nos auxilia e ao mesmo tempo nos coloca sempre no posicionamento de refletir sobre nossa conduta missionária fazendo nos sempre repensar e reposicionar a conduta de Mestre discípulo e vice versa.
            Nosso ensinamento nos diz que temos um princípio hierárquico e esse, é a coluna mestre de tudo quanto realizamos na condição de mestre da doutrina do amanhecer. Situação essa que tem sua força mantida orientando e canalizando as energias contidas no princípio técnico mediúnico. Por mais que nos esforcemos não somos tão religiosos quanto pensamos ser. A Clarividente deixou claro em suas palestras e cartas que somos uma doutrina crística. Doutrina é um conjunto de ideias reunidas as quais, agregamos em nosso dia a dia e somamos a isso o pensamento da divindade. Portanto somos essencialmente profissionais do mediunismo(afirmação sempre constante do Primeiro Mestre Sol trino Tumuchy). Essa condição tem algumas vertentes que precisam ser vigiadas e analisadas, pois lembremos uma afirmação de Pai Seta Branca que nos dá essa permissão que diz: “Sejam manso como uma Pomba, mas sagazes como uma serpente!
A ação da força mediúnica aliada a fatores técnicos espirituais ou etéricos nos arremete as heranças transcendentais que é a somatória de nossas atitudes em nossas dezenoves encarnações(as quais, em sua maioria foram desastrosas), nessa encarnação estamos sentindo e ressentindo o peso de tudo isso, somado ao fator de nosso EU, ou individualidade que nos chama a responsabilidade doutrinária ou compromisso missionário assumido desde nossa chegada a este terceiro plano quando nos comprometemos diante de nossos Mentores ou superiores hierárquicos espirituais na evolução do planeta Terra e seus habitantes.
            Passo adiante, durante essas dezenove ou vinte e uma encarnações, acabamos nos endividando e sendo prisioneiro da ação do carma. Vivemos hoje diante desse peso e a responsabilidade ou obrigatoriedade de agir sobre o peso de consciência crística que não tem nada a ver com religião, pois essa condição impede o homem de observar atentamente suas ações diante de sua missão onde ele se vale da permissividade concedida pelos Santos e Anjos que estarão sempre a compensar suas falhas, o que na verdade nem sempre acontece.
            Quando Tia Neiva nos deu a condição de Mestres , nos impôs a responsabilidade de não mais errar pois, a condição iniciática que assumimos nos qualifica dentro desse mestrado a sermos sempre o Mestre e esse, perdeu a condição de pensar em si mesmo, pois a sua volta onde quer que esteja, estará sempre alguém absorvendo sua condição de emitir e receber as energias que esse Mestre recebeu em sua formação técnico mediúnica. Nossos Mentores, Senhores desse sistema estão sempre nos auxiliando em tudo quanto precisamos para o perfeito cumprimento dessa jornada mas, serão também os primeiros a nos abandonar quando deixamos o código sagrado que mantém o Mestre em perfeita sintonia com os planos espirituais que é sua conduta doutrinária.
            Há também um fato muito interessante e importante em tudo isso que muitas vezes negligenciamos são de nossas construções templárias, elas foram projetadas como um imenso laboratório de forças universais  as quais, não conhecemos completamente e até brincamos inadvertidamente com a mesma desconhecendo a força da Cabala. Essas edificações também são dedicadas quase que exclusivamente para os sofredores, são unidades hospitalares espirituais para encarnados e desencarnados, onde cada uma delas vibram em faixas vibratórias especificas, por essa razão, não é tão difícil um Mestre encontrar um energia esparsa que lhe trará não só incômodos fisiopatológicos que simularão doenças físicas, quanto num processo de simbiose ou osmose passe a ser guiado por um sofredor , o que tem gerado imensos conflitos de relacionamentos seja da direção da doutrina ou entre os próprios componentes.
            O Primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy, nosso ponto de referência no que diz respeito ao conhecimento doutrinário, não só por sua vivencia junto a Clarividente, mas também por sua condição transcendental nos afirmava que por vezes uma entidade não evoluída poderia se passar por um Mentor de luz, e isso por muito tempo sem que o médium perceba essa atuação. Afirmava também que  na escala evolutiva existem espíritos podem realizar curas, mas não espíritos de luz , pois ainda estão presos na faixa ainda densa da Terra, essa condição pode ser verificada pois suas ações e palavras são mais voltadas para as coisas da Terra ligadas mais ao pensamento da personalidade que da individualidade.
            Terminando , é sempre bom verificar nossas atitudes comportamentais tanto a nível de nossa missão espiritual, quanto ao redor das pessoas que estão próximas a nós.

            Gilmar
Adjunto Adelano
Abril-2013