O ADJUNTO PRESIDENTE



ADJUNTO PRESIDENTE
Salve Deus!
            Em nossa doutrina o chamado a  missão é uma ação tão diversificada quanto complexa, a espiritualidade em sua ação sábia de proporcionar  os  espíritos neste vasto universo encontrarem uma forma de se reajustar ,refazendo sua rota de volta a origem, reorganizando as famílias espirituais. Nesta ação espiritual há o reflexo nos parentes espirituais que estão em planos interdimensionais de vários níveis evolutivos. E são essas famílias que tomam a decisão de migrar até este terceiro plano no cumprimento de suas missões espirituais. A corrente Indiana do Espaço é uma dessas grandes famílias.
            Após vinte uma encarnações, assumindo vários papeis em nossa sociedade, muitos dos quais, de posição de domínio, tornou-se natural um endividamento entre essas famílias. Muitos comandantes em suas posições buscando as conquistas pessoais e outras coletivas,as vezes não considerando os meios para que essas conquistas fossem atingidas, deixando um rastro de sangue e dor. Comandantes e comandados, conquistadores e conquistados, Senhores e escravos, Mestre e discípulos, Jesus e Barrabás, Adjunto e povo. Neste último fica a grande pergunta...Quem deve a quem...Se o Adjunto ao povo, Ou o povo ao Adjunto...Com o advento da preconização do doutrinador na cachoeira do Jaguar e da formação da cabala de Ariano, O Simiromba de Deus reúne espíritos milenares na força da  Corrente Africana como os Enoques e alia se a esse grupo um engenheiro sideral na roupagem de Tiãozinho, um monge tibetano que vivia no Mosteiro de Lhasa  e uma veterana nas encarnações que fora Pitya, Nerfetite, Natacha e reencarnaria em Propriá Sergipe em 30 de outubro de 1925 como Neiva Chavez Zelaya. Na década de cinquenta começa então assentar os pilares dessa missão simétrica em 09 de novembro de 1969 nos arredores de Planaltina para em 1978 criar o objeto deste artigo; O ADJUNTO.
            Trinta e nove homens e no meio deles uma única mulher formaram os veteranos Adjuntos do Amanhecer. Foram classificados dois tipos de adjuntos. Arjuna Rama Adjuração e logo depois Raja Adjuração. Mas Tia Neiva manteve o Arjuna Rama Adjuração. Segundo a tradição hindu o Arjuna é o príncipe,o homem perfeito, em todas as suas formas e atitudes, e é o que Tia Neiva deseja para os Adjuntos, ou o Doutrinador. Dessa formação do Adjunto ,ou dessas ramas surgiram vários outros e por fim hoje temos o Adjunto Presidente.
            Pensamos nesse homem que em determinado momento de sua trajetória, recebeu uma intuição de formar um povo ,conduzi-lo, tomar suas dores, abnegando de seus momentos para sorver desse cálice sacramental do grande Simiromba de Deus. Para ser esse representante de Koatay 108 não é tão simples. Começando pelas dificuldades financeiras, partir acreditando na missão que seu ministro lhe intuiu, e com sua ninfa atender os necessitados .
A grande dificuldade para esse mestre é divisar até onde vai sua ação,porque na verdade o Adjunto passa ser o formador de opiniões,é conselheiro,amigo, pai, e o líder espiritual que precisa agir dentro das normas do santo evangelho e conviver com aqueles que um dia pela lei do carma o Pai lhe confiou. Estes mestre e ninfas são filhos e tutelados  do ministro do Adjunto e a ele cabe zelar dos mesmos como se fossem seus filhos. O Adjunto é aquele a quem o Ministro confiou seus poderes. Conviverá com o poder sem se deixar envolver por ele. Será confidente de conflitos emocionais, terá acesso as finanças para manutenção das áreas religiosas e não poderá delas lançar mão em beneficio próprio. Muitas vezes não poderá manifestar suas próprias dores, para aplacar as dores dos seus...Terá que ter sabedoria para poder atender seus comandados sem prejudicar ou alterar sua estrutura familiar. Não terá louros ou glórias,pois viverás no silencio daqueles cuja simplicidade,dar-lhe-á a maestria de ser servir sempre com a sabedoria dos mansos de coração,ficará dividido entre a razão que conduz os propósitos da vida profana e o sagrado,mas saberás como escolher entre esses dois cálices que sempre lhe será oferecido pelo destino.Ouvirás muitos a lhe criticar e aprenderás a dura arte de apenas ouvir,não poderá causar desilusões, pois pode ser a ultima chance oferecida por Deus Pai Todo poderoso para reparar milênios de dor e sofrimento. Mas então porque ser um Adjunto,se há tantos compromisso e responsabilidades...É uma pergunta que somente o Adjunto Presidente,aquele que realmente hasteou a bandeira rósea do amor,o filho de Koatay 108...Poderá responder...
Gilmar
Ad Adelano