INTUIÇÃO



O QUE É INTUIÇÃO?

Ser um médium é algo que já está nato em nossa formação biológica, dado que a mediunidade é algo que flui pela corrente sanguínea, portanto o exercício dela é que nos dá a condição de sermos missionários. Cada mediunidade faz do individuo um missionário diferente. Muito embora, na Doutrina do Amanhecer as duas mediunidades que estão inclusa na movimentação de toda o sistema doutrinário seja o Apará e Doutrinador, não se diga que as outras mediunidades foram extintas e ou deixadas de lado. Fato este marcante é de nossa Mãe Clarividente que detinha a maioria das mediunidades, ela clarividente e segundo o primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy, só aparece um clarividente a cada trezentos anos, Tia Neiva Via e interagia em vários planos simultaneamente. Mas o que isto tem a ver com nós outros, Doutrinadores e Aparás? Muito, pois o exercício de nossa mediunidade está implícito em todos os momentos de nossa vida, embora, o exercício pleno dela seja limitado às áreas templários, precisaram ter conhecimento de alguns fatores que podem nos auxiliar em nosso dia a dia e até evitar muitos dissabores em nossa caminhada.

Viver é um contrato de risco, os fatos que ameaçam nossa existência são muitos, a todo o momento somos obrigados por questão de subsistir ter que movimentar de um lado para outro, e mesmo em nossa casa estamos sujeitos a esses perigos. Embora sejamos médiuns e contamos com uma proteção enorme por parte da corrente e de seus mentores, temos um carma a cumprir e de qualquer forma iremos cumpri-los, ou parcial ou totalmente. A mediunização é elemento primordial para essa ligação com nossos Guias, sim Guias, responsáveis por nossa encarnação, e são nossos amigos que estão diariamente conosco. Eles nos falam, mas precisamos nos colocar na condição de ouvi-los. Quando tivermos que sairmos para algum ligar, não nos custa colocar nossos canais de comunicação, nossos chacras a serviço da espiritualidade. O grande desafio dessa ligação espiritual é estabelecer o “quantum”, o equilíbrio desta ligação. Tia Neiva na carta do Adjunto nos dá uma pista certeira e própria para essa condição: ”Sem ter a pretensão de transformar num monge, ou em um robô místico, vou lhe descrever as pequenas atitudes de um ativo Adjunto”. Nossa doutrina nos oferece uma grande gama de cores, símbolos, cânticos, Indumentárias, construções arquitetônicas que favorecem o misticismo. Mas também a contraponto, também oferece uma doutrina baseada na ciência espiritual e, é esta razão doutrinária que devemos nos guiar. Lembrando também uma mensagem de Pai Seta Branca que diz ”Cuidado com as grande filas que avançam, dizendo estar em nome de Deus”. Existe o perigo do fanatismo, portanto temos que ser médiuns, mas com os pés no chão estabelecendo portanto esta ligação diária com o mundo espiritual,mas sempre também com os valores que Tia Neiva sempre deixou como prioridade. A Família e a vida material, pois sem um equilíbrio nestes dois elementos importantes em, nossa vida, fica difícil de dedicar-se a doutrina. Resumindo,quando fores fazer qualquer coisa em sua vida,estabeleça um contato silencioso com seus mentores, busque sua individualidade transcendente, controle seus impulsos, para depois partir naquilo que desejas fazer... Com certeza serás feliz. E lembre-se de outras duas frases tremendamente importante em nosso dia a dia. “O trabalho incessante vos livrará das dores” e “Veja se na lei de auxilio algo mudará em sua vida”.

Adjunto Adelano
Mestre Gilmar