FELIZ 2013



FELIZ 2013

            Salve Deus!
           
            Cada final de ano nos colocamos em posicionamento de reflexão, fazemos isso , as vezes, inconscientemente. Abraçamos esse sistema doutrinário, buscamos uma maneira de nos dedicar a doutrina sempre buscando uma maneira, uma fórmula que nos dê aquilo que chamamos de felicidade.
            Como jaguares somos questionadores por formação e essência, sem nos perdermos no curso do fanatismo convencional, procuramos sermos o mais discreto possível no exercício dessa missão que acreditamos e nos foi confiada.
            No balanço de nossas atividades , com certeza, aqueles que apreenderam a doutrina da Clarividente, não está totalmente feliz  com o andamento de sua obra.
E não adianta querermos cair no posicionamento daqueles que enquadram tudo como se fosse carma ou uma situação criada por espíritos que desejam que a obra não caminhe e dê os frutos prometidos por nosso Pai Seta Branca. Tia Neiva nos alertou sobre a condição e o dever de apontar as armas contra nós mesmos. Que deixássemos de culpar nossos vizinhos. Portanto, teremos que forçosamente admitir que os problemas que hoje vivemos, em todos sentidos, seja doutrinário, afetivo, financeiro foram criados por nós. E fatalmente somos nós  que temos que resolve-los.
            Nossa doutrina , segundo nossa clarividente, tem uma projeção de trezentos anos. Os formadores desse sistema , aqueles que lançaram base desse sistema doutrinário , que sorveram da Clarividente os ensinamentos espirituais, em sua maioria estão com mais de quatro décadas de existência.
            Seria muito bom, que as situações divergentes fossem resolvidas agora, mas a espiritualidade  não conta o tempo da maneira como nós fazemos, para eles não existe o fator “tempo”.
            Como gostaríamos que nosso Pai Seta Branca intervisse em nossa caminhada e redirecionasse a doutrina para o seu real objetivo. Mas sabemos que ele não fará isso, é nossa responsabilidade.
            Partindo desse pensamento resta- nos fazer nossa parte. Somente isso!
Mas como é difícil estender a mão a um encarnado, principalmente aqueles que chamamos de “Meus irmão e meus Mestres!
Pedir perdão aos sofredores, aqueles a quem ferimos é nossa especialidade, assim como temos essa mesma condição de ser juiz e executor de nossos companheiros de caminhada, nossos irmãos de doutrina. Sim aquele que abre mão de sua vida e em nossos templos dedica se a cura desobsessiva e são eles:
Os Adjuntos Presidentes, legítimos representantes de Tia Neiva. Ao Caboclo que ainda em seu templo de palha, cujos recursos financeiros são tão escassos e mesmo assim ele doa seu tempo, sua vida em função de outros que menos tem.
            E já que o mundo não acabou nesse 2012, façamos de 2013 o ano da reconstrução!
            De nossas vidas!
            De nossos ideias!
            Dos componentes confiados por um Ministro!
            De nossa tolerância ainda intolerante!
            De seu Sol interior!
            Enfim de sua consciência missionária!

            Feliz 2013
            Gilmar