OS CAMINHOS DA DOUTRINA DO AMANHECER



OS CAMINHOS DA DOUTRINA DO AMANHECER

            Salve Deus!
           
            Nossa doutrina é relativamente jovem aqui nesse terceiro plano, nascida na década de cinquenta, através da clarividência de Neiva Chavez Zelaya, destina-se exclusivamente a cura desobsessiva porém, sem se afastar dos princípios cristãos de dar um homem uma condição melhor, principalmente no sentido de encontrar sua evolução em seus três reinos de sua natureza.
            Ao chegar ao doutrina, em grande maioria dos casos, esse homem encontra se falido emocional e psicologicamente, muito embora, com uma grande liberdade de ação na busca de uma religião ou doutrina, ele não conseguiu encontrar um direcionamento que mudasse sua forma de ser e agir.
Através do mediunismo, ele consegue estabilizar suas energias , e isto lhe permite visualizar com mais clareza sua condição e então, de posse de seus caminhos e se equilibra e normaliza sua caminhada nesse terceiro plano , assim como, auxilia outros que também procuram a doutrina formando o que conhecemos corrente, onde cada elo fortalecido forma o coletivo na desobsessão do planeta.
            Em conversa com o Trino Ajarã Mestre Gilberto Zelaya surgiu a indagação da quantidade de médiuns que é formada, isto falando do primeiro passo iniciático e daqueles que permanecem engrossando as fileiras da Doutrina do Amanhecer. Diante dessa evasão, nasceu a necessidade de buscar formas para dar uma sustentação maior a esses novos médiuns, auxiliando-os na busca de seus ideiais religiosos ou doutrinários.
            A grande preocupação do Trino Ajarã é preservar a essência doutrinária deixada por sua mãe e mentora. O risco de nos desviarmos da meta estabelecida por ela no compromisso assumido nos planos espirituais é um fato conhecido. Permeamos como missionários entre  luz e a sombra, ao mesmo tempo que somos assistidos por individualidades de imensa luz, temos que “doutrinar”, tanto na ação quanto nas palavras outras individualidades cuja compreensão e visão são deturpadas e cujo desejo também, é engrossar suas fileiras formando legiões de espíritos sofredores.
Sabemos também que a porta estreita é difícil de seguir e que a porta larga, segundo Jesus, oferece possibilidades e valores que preenchem os desejos do corpo físico. É mais fácil ser iludido por entidades que não desejam que nossa doutrina cumpra sua missão do que possamos imaginar. A aproximação de um sofredor é sempre sutil, quase imperceptível. Somente o Doutrinador com sua conduta doutrinária pode perceber essa sutil atuação.
Também sabemos que o episódio de Irischin não é tão distante, que cisão é uma palavra que hoje temos que evitar, pois uma divisão sempre levará a ter mais de um lado, e com certeza , todas as vezes que esse fato surgiu em nossa história, houve prejuízos incalculáveis que necessitou várias encarnações para tentar repara-los.
            A Doutrina do Amanhecer, a verdadeira doutrina de Tia Neiva, não tem e nunca terá a força da “troca”, da  “barganha”, da “demanda”como elemento para oferecer aos seus dirigentes. E hoje “infelizmente” temos vistos grandes mestres estabelecer como permanência que seus desejos não doutrinários sejam atendidos para que possam estar com “Y” ou “X”.
            Houve um dia um juramento diante de um castelo iniciático a nossos mestres veteranos. E a mesma lei que os chamados trinta e nove Adjuntos juraram é a mesma que Tia Neiva  deixou em 1978 na primeira formação dos Adjuntos, continua sendo emitida livremente por todos os componentes que adentram a jornada missionária que abraçam.
            A Doutrina do Amanhecer é um conjunto de leis espirituais trazidas de planos espirituais evoluídos cujo funcionamento ou execução não depende de leis humanas ou tribunais humanos. Ela primeiramente foi regida por Neiva Chaves Zelaya enquanto encarnada. Depois de seu desencarne foi entregue aos Trinos Presidentes Triadas consagrados por ela. Foram quatros Trinos, dois desencarnaram, restam nos dois; Trino Sumanã e trino Ajarã, esse último tem sua lei assinada por sua mãe mentora que lhe confere o direito de executar qualquer consagração nessa doutrina, assim como é o Coordenador dos Templos do Amanhecer. Segundo o Trino Ajarã, até o momento, ele não vê nehuma forma, ou possibilidade de se consagrar   outro Trino Presidente Triada, principalmente pelos mesmos estarem integrados a chave de abertura da corrente Mestra.
            Ao ser indagado o porque não iria ao templo Mãe o Trino respondeu:
            - Eu não vou ao Templo Mãe, por não concordar com as alterações feitas na lei que minha mãe deixou!!
            -Também devo dizer que não briguei com ninguém!
            O primeiro Doutrinador deste Amanhecer, o quarto Trino, como peregrino procura estar, quando sua saúde lhe permite junto ao povo que Deus lhe confiou, procurando não se afastar do juramento que um dia fez a Jesus, Pai Seta Branca e Sua Mãe e mentora Neiva Chavez Zelaya, Koatay 108.

            Gilmar
Adjunto Adelano
Novembro 2012