CORRENTE MESTRA







A CORRENTE MESTRA  

                Salve Deus!

                No universo tudo vibra e é energia. Elas se misturam se fundem, aglomeram e se dispersam. Partículas cósmicas viajam  no espaço a velocidades que ainda não concebemos, e neste burburinho de energias nós outros ,participantes da Corrente Indiana do Espaço as manipulamos numa forma que também desconhecemos esse mecanismo.
                Na Casa de meu Pai há muitas moradas, disse Jesus, então nesse universo imensurável, infinito temos vários corpos celestes que para nós é de grande importância. A Terra , local onde ocupamos um corpo material, denso que abriga um outro menos denso que é a alma e o períspirito que por fim chegamos ao espirito, substancia imaterial, fluídica ,eterna mas que está em constante transformação , recebendo todas as benefícios da conquistas tanto da alma e seu condutor o períspirito. O Sol centro irradiador de forças , a Lua como moderadora e transformadora dessas energias e Capela nosso planeta de origem.
                Também entre esses corpos existem as Casas transitórias onde há estações espaciais com funcionalidade de intermediar entre um plano e outro. Em uma dessas estações ou planos interdimensionais está Tapir uma grande plataforma que recebe os raios de Olorun, Obatalá e Simiromba e emitem para a Terra, mais precisamente para os Templos do Amanhecer a Corrente Mestra. A Corrente é um fluxo de energia constante que é dispersa pela Pira percorrendo  o Randy até o Pai Seta Branca.
                Como um trança multicolorida luminosa ela manipula é e manipulada. Os médiuns emitem para a corrente Mestra e está através de sua continua movimentação elíptica conduz as energias pesadas até Tapir e depois volta purificada, para mais uma vez num ciclo contínuo estabelecer um elo entre os planos espirituais e a Terra. Se não fosse pela Corrente Mestra as energias das Estrelas Candentes não seriam manipuladas, trabalhadas.
                Mas já perdemos certa vez o direito de invocar e manipular as energias da Corrente Mestra. Foi que conhecemos como Cisma de Irischin. Há muito tempo na África um grupo de missionários manipulava essa força, mas usaram-na para o fetichismo a lei Negra, quando houve um grande conselho de sábios , onde um Trino presidiu esse conselho chamado Irischin, sendo, no entanto essa força recolhida. Através dos 108 Mantrans de Koatay 108, o Doutrinador recebeu o direito de invocar esse poder, portanto a Corrente Mestra contém 108 Mantrans. O comandante do dia  tem os poderes para invocar a corrente Mestra através de sua chave especifica. E os três comandantes do dia são os guardiões dessa força.
                Através da força iniciático cabalística ganhamos o direito de manipular a Corrente Mestra. Por essa razão nos dias de trabalho oficial ela vibra com mais intensidade. Quando o médium cruza o templo de um lado para outro é necessário que o mesmo faça uma reverencia, para que possa receber a força da corrente mestra em seu plexo.
                O trino Ajarã e seus Subcoordenadores na edição do Realinhamento determinou  um número mínimo de médium para manipulação e sustentação de uma corrente Mestra. Assim como para os trabalhos de Angical, Sessão Branca, Indução, Junção iniciatica e tantos outros são necessários que o templo  tenha conquistado um número de médiuns adequado e ideal para a sustentação da Corrente Mestra. A espiritualidade não se submete a nossos caprichos e nossas mesquinharias, tão pouco se adequada aos arranjos quanto a solicitação do número correto para essa sustentação. Não há meia corrente Mestra. Se não tiver os faróis da mesa sempre ocupados e os restante dos comandos na mais perfeita Ordem ela não é conduzida ao templo. Assim como a sintonia dos Comandantes do dia é questão importantíssima em sua vibração e qualidade....

Gilmar
Ad Adelano