ARCANO




            Salve Deus!


            Estamos há algum tempo sempre falando no peso das classificações e, principalmente o que representa essas consagrações. Em nossa doutrina existe um sistema hierárquico bastante rígido o qual, tem sua força e representatividade espiritual. Esse sistema é estritamente espiritual, regido por valores de conquista e não valores forçados ou adquiridos fora da linha da evolução doutrinaria espiritual.
            Falaremos exclusivamente da classificação do Arcano, que é a última classificação na Doutrina do Amanhecer.
            Os primeiros Adjuntos Arcanos foram os chamados trinta e nove que receberam essas classificações em 1978  na formação do Adjunto.
            Para a formação do Adjunto houve um ritual especifico onde os passos que se seguiam mostravam uma jornada que dava ao Adjunto sua missão:“Uma grande tribo partia para a guerra de suas novas conquistas quando um despertar de amor a fez voltar até o Santuário, pedindo a Amon-Rá que abençoasse aquele povo. Esta Iniciação, atravessando séculos, chegou até aqui! Arjuna-Rama entra no Oráculo - ou Santuário, com uma lança na mão, escoltado por ninfas Dharman Oxinto. No portão do Santuário pergunta à I Solitária Yuricy se pode se espiritualizar.(Tia Neiva)
            O Arjuna, segundo a tradição Hindu seria o homem perfeito, o príncipe dos príncipes. Só se chega a condição de um Arjuna, quando o indivíduo retira de sua personalidade os sentimentos de raiva,ciúme... Mas esse homem perfeito tem uma triste sina! Guerrear contra seus próprios irmão!
            O Ritual acima descreve a formação do Adjunto ou sua caminhada até a sua classificação ou consagração. O Mestre era conduzido até o santuário, e este era entregue ao Adjunto Yuricy, e lhe  pergunta se pode se espiritualizar. Logo depois é encaminhado até o sacerdote que está com os poderes de Koatay 108!
Este responde : Se for para seu bem que entre!

Após adentrar ao Santuário, recebe os poderes que lhe são merecidos, para depois se apresentar ao Trino com sua tropa! Só depois ele recebe sua autorização para novamente espiritualizado voltar diante de Koatay 108, note-se que ele só voltará diante de Koatay 108, depois de avaliado e autorizado pelo Trino
Koatay 108 então dará a sua lei. Esta lei significa o juramento que o Mestre então de joelhos o fará!

Depois, com a mudança de seus sentimentos (ou espiritualização), vai novamente diante de Koatay 108 pedir para que espiritualize seu povo. Então serve do Sal e do vinho e faz seu juramento.
Voltamos novamente a frisar o Mestre Tumuchy em sua afirmação que diz:
“Muitos são chamados a uma consagração, mas nem todos são consagrados”
Há uma definição no curso de estrelas do Mestre Tumuchy que nos fala sobre os Arcanos, vamos aqui coloca-lona definição do Mestre José Carlos, Trino Tumarã!
No Curso de Estrelas, o Mestre Tumuchy  ensinou que Koatay 108 avançara tanto, obtendo elevado respeito nos planos espirituais, que havia movimentado uma estrutura capaz de receber o beneplácito dos Arcanos.  Os Arcanos são espíritos superiores, que presidem, há milênios, todo o Universo.  São tão grandes que não ficam aqui, só nos projetam sua força. São a manifestação do SOPRO DIVINO na Terra! São espíritos finíssimos e, simplesmente, não discutem - vêm em missão, diretos, precisos, objetivos, e são eles que chegam até os Soberanos, espíritos que regem a Alta Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os Arcanos regem os trabalhos da Estrela de Nerhu. Se os Jaguares correspondem, tudo bem. Caso contrário, eles simplesmente se retiram.  A presença dos Arcanos significa a observação do nosso comportamento individualizado. Como poderemos corresponder a eles se não temos o conhecimento do que eles pretendem para a Terra? Somente dentro da conduta doutrinária, trabalhando na Lei do Auxílio, com amor, tolerância e humildade, poderemos corresponder e estar sempre à disposição dessa força grandiosa  dos Arcanos, que nos ditarão seus planos na medida do nosso progresso espiritual.  
Também nos dizia o Trino Tumuchy que esses espíritos, ou ministros (Arcanos) nunca estiveram encarnados na Terra. Embora tenham compromissos com seus tutelados, são precisos, manipulam forças de grande potencial iniciático e cabalístico.
 Quando seus tutelados saem de sua conduta doutrinária ou de seu compromisso doutrinário eles se afastam! Há relatos que Tia Neiva comentou de mestres Adjuntos que saíram de sua missão ou conduta e seus Ministros se afastaram de seus Mestres! Ela não sabia informar se o  mesmo Ministro voltaria com o mesmo Mestre!
Também há relatos de que quando Tia Neiva classificou o primeiro grupo de Arcanos, havia um pedido para que sempre houvesse um deles no interior do Templo Mãe. E também que evitasse trabalhar nos Tronos.
       Quando o Mestre Janatã fazia as escalas da Estrela candente e do quadrante, orientava que no ritual do quadrante, não se dava missão a esses Mestres, baseado num trecho: 
“O Arcano fica onde quer”
       Não há como analisar o aspecto das classificações e as faixa cármica, as classificações caminham paralelos ao resgate cármicos e dividas transcendentais e, nisso está implicito as cobranças espirituais.
A medida que o Mestre vai conseguindo suas classificações, vai adquirindo de acordo com sua conduta doutrinária, sua evolução espiritual, Portanto, vai movimentando uma quantidade maior de força. Se ele é um Adjunto de povo, também vai favorecer que seus componentes possam ascencionar a níveis também mais elevados sob o aspecto espiritual. Então, seu carma pode tornar-se mais pesado, onde as cobranças também ficam mais intensas. Conhecemos alguns grandes Mestres que após receberem suas classificações, passarem por momentos difíceis em suas vidas.
         Outro aspecto a ser abordado é o aspecto do compromisso ou juramento realizado no momento em que o Mestre de joelhos se compromete diante do Trino Triada que lhe dá a missão , Koatay 108, Jesus e ainda mais sério, diante de sua consciência. 
Vamos transcrever alguns trechos de juramento:
“Salve Deus! Oh, Jesus, nesta bendita hora, em que as forças se movimentam para consagração deste meu sacerdócio, eu, o menor de teus servos, ponho em Tuas mãos os meus pensamentos e todo o meu amor,”
Salve Deus, minha Mãe Clarividente! Juro seguir o teu roteiro nesta caminhada para um rico Terceiro Milênio, doutrinando, emanando e curando, transformando a dor no caminho de nossa evolução.”

“Ninguém jamais poderá contaminar-se por mim! Salve Deus!”           

            Fica portanto, bastante claro alguma situações neste texto que ainda é muito pobre de nossa parte para falar de tão importante missão ou classificação! 

            Para poder tornar-se ou receber uma classificação desse nível é necessário que haja uma autorização de um Trino Presidente Triada!        

            È necessário uma espiritualização, uma mudança de pensamento, uma melhora interior para se alcançar a CONSAGRAÇÃO, que é diferentes de classificação, pois novamente citando o Mestre Tumuchy “Muitos são chamados a uma consagração , mas nem todos são consagrados” 

            Esses espíritos lidam diretamente com os soberanos, veem segundo tudo indica, das origens do terceiro ciclo. São extremamente objetivos, não participam de nossas mesquinharias, deixam seus tutelados quando os mesmos saem de sua missão ou conduta doutrinaria.

            Tia Neiva tinha um imenso cuidado ao classificar um Mestre Arcano e hoje são poucos os que obtiveram diretamente da Clarividente tal consagração.           

            Ainda temos pouco conhecimentos dessa classificação e até ,podemos lembrar uma frase de Tia Neiva na carta dos Aparás que aqui também cabe perfeitamente. 

“É a dor para aqueles que desejam prova” 

            Hoje corremos o risco de perdermos todo o caráter hierárquico da doutrina, e uma das grandes falhas é muitos desses Mestres que receberam essas classificações e que buscam sua consagração entender que:           

            “Um Mestre pode alcançar a outro em suas classificações mas, nunca em suas consagrações”

            Essa classificação é espiritual, seu caráter sagrado, portanto não torna o homem com um aspecto de mando maior, mas sim, mais compreensivo para aqueles que o rodeiam e que também a classificação é inversamente proporcional a sua divida cármica. Sua classificação é do tamanho de sua divida cármica.



Gilmar


Adjunto Adelano

Novembro-2012