NOSSA DOUTRINA LINHA DE CONTINUIDADE


NOSSA DOUTRINA LINHA DE CONTINUIDADE

            Salve Deus!
            Hoje, sem a presença física de Tia Neiva, é notória a preocupação com a continuidade da Doutrina do Amanhecer. Não temos tradição punitiva em nossa doutrina, muito embora, alguns tendem a acreditar que nossos Mentores exercem essa atividade punitiva, é sabido que na verdade estamos a mercê de nossa consciência. Assim como fica também difícil estabelecer qual o nível de sua atuação e quando realmente ela é livre ou condicionada pelas pessoas.
            Em nome de uma pretensa necessidade de “ajudar”, muitas regras e condutas doutrinárias  foram quebradas , alterações em rituais , indumentárias e até na parte arquitetônicas já aconteceram.
            Contam os veteranos de nossa doutrina que na época da construção do Templo Mãe, Tia Neiva alertada, ou orientada por Tiãozinho solicitou que fosse refeito várias vezes pequenas coisas no interior do templo que para os outros pareciam sem importância mas, para a espiritualidade eram imprescindíveis.
Também é sabido que nossa doutrina não é estática e moderna e dinâmica mas, até onde podemos interferir no que foi deixado pela Clarividente.
Segundo definição do Primeiro Mestre Sol Trino Tumuchy; Clarividente é aquele cuja mediunidade lhe permite ver com clareza passado, presente  futuro. Também lhe permite estar em várias dimensões ou planos simultaneamente. Então vem a pergunta inquietante:
            Se nossa doutrina  fundamentada na visão de uma Clarividente e nossa doutrina mal completou cinquenta anos, qual o direito das pessoas tem para alterar o que foi deixado por ela?
Se alguém que acha que tem os poderes suficientes para isso o faz, certamente está dizendo que nossa Clarividente errou e, por isso, está “consertando esse erro”.
            Existe um chavão que muitos Doutrinadores utilizam quando lhe convém a seguinte frase!
            “ A mesa está pronta, tudo foi providenciado é só nos servirmos”
            Não que sejamos ortodoxos, ou tão conservadoristas, mas estamos lidando com forças que mal conhecemos, com individualidades cujo propósito estão  acima de nossa compreensão, não que tenhamos que agir com medo, mas pelo menos deveríamos agir com cautela e respeito com os valores deixados por Tia Neiva.
            Gilmar
Ad Adelano
Outubro 2012