Nós e nossa doutrina


O momento em que vivemos em nosso sistema doutrinário  é semelhante a um navio em alto mar agitado, seus tripulantes são jogados de um lado para o outro, inseguros, só lhes restam pedir socorro ao seu Capitão e junto com ele se sustentar até que a próxima calmaria chegue e novamente possam os viajantes seguirem em paz e segurança.
            Tratando se da Doutrina do Amanhecer, temos assistido essa Nave de Tia Neiva ser assolado por ventos e temporais, mas nenhum deles foi, e é tão intenso quanto esse que estamos sendo submetidos.
            Em conversa com o nosso Capitão Trino Ajarã Mestre Gilberto Zelaya,nota-se sua preocupação em manter os tripulantes desta nave chamada Doutrina do Amanhecer em paz. Porém, mesmo com todo esse amor que ele tem ,principalmente por sua Mãe , a nossa clarividente, ainda falta a esse grande corpo mediúnico se encontrar mais com a doutrina do Cristo Jesus. Estamos ainda mergulhados no doce envolver desta força cabalística, esquecendo que somos seres espirituais encarnados, que temos um compromisso transcendental a ser cumprido. Nosso maior valor nesta doutrina ainda é o homem que necessita do que temos de mais sagrado! A cura desobsessiva! Mas será que também não carecemos da mesma dosagem dessa cura desobsessiva? Como na guerra civil do Peloneso, muitos de nossos irmãos estão estabelecendo lado, e em nossa doutrina não pode e nem deve nunca haver “lados”,pois somos filhos de um único Pai...Meu Pai, nosso Pai Seta Branca. Principalmente nós outros doutrinadores ,saímos como Tia Neiva disse um dia em reunião, de seu ventre. Então, somos filhos de uma só  Mãe Mentora, não existem duas Tia Neiva. Não pode haver uma que criou todo um sistema doutrinário baseado em princípios hierárquicos, que é a espinha dorsal dessa doutrina. E outra que de-repente nega tudo aquilo que ela mesma criou... Sua grande criação os Trinos Presidentes que a representam, e principalmente os dois que ainda estão encarnados são impedidos de participarem dos rituais na casa que um dia de joelhos Tia Neiva jurou e entregou seus olhos a Jesus....São representados...Sem pedirem para serem representados... E quanta gente boa, grandes Mestres no Templo Mãe que estão sofrendo... E pouco podem fazer...Batalha civil peloponeso...Um fato a se lembrar....
            No mesmo espaço dessas conversas com os Mestre de circundam o Trino Ajarã, como ele, questionam o que  se deve fazer para dar a nossos médiuns uma confiança neles mesmos e na doutrina que buscaram. Fala-se na quebra da hierarquia, e consequentemente vem a terrível pergunta: Porque não se cumpre a hierarquia. Sim, essa mesma hierarquia que faz com que o aspirante cumpra as determinações do Adjunto e faz com que ele infalivelmente cumpra as orientações dos Trinos legitimamente classificados pela Clarividente. Será que na fase de desenvolvimento não se fala de valores evangélicos, que são eles a sustentação do médium. Que satisfaz seu plexo físico e inevitavelmente o espirito. Fala-se pouco de Neiva Chavez Zelaya, aquela por seus olhos vemos a doutrina que amamos. Nosso Senhor Jesus Cristo, Pai Seta Branca, nosso dirigente espiritual. Certa feita o Trino Triada Tumuchy disse:
            -Depois de alcançarmos os valores iniciático, precisamos buscar a precisão evangélica. Ao mesmo Trino, depois de enaltecer o espirito espartano, indagou-se sobre o Espirito ateniense.
            Como foi também colocado que estamos perdendo nossa memória doutrinária...E somos ainda tão jovens como doutrina...Pouco mais de cinquenta anos, surgem  mestres dizendo conhecer a doutrina e passam a confundir aqueles que estão iniciando...Mas ainda temos a fé inquebrantável no Trino Ajarã, cujos olhos da Clarividente ainda estão em sua Cassandra no Templo Mãe e seu compromisso da Lei Dharmam Oxinto... E fica em nossos ouvidos suas palavras...
            “Estou aqui por minha Mãe! Quero estar de consciência limpa no anfiteatro, assim como quero entregar a ela, de cabeça erguida, o cajado que ela me confiou”  
   “Sou o Trino mais feliz dessa doutrina”
   “Ghandi deu algum tiro?”
   “Jesus usou de violência”
   Gilmar
  Adjunto adelano